Paraty Ciranda: um projeto sobre a música e a resistência cultural caiçara

Olá.

Inauguramos este espaço para registrar e dividir com você, a partir de agora, nossa pesquisa sobre os cirandeiros de Paraty.

Paraty Ciranda é um projeto de pesquisa proposto pelo Instituto de Estudos Sócio Culturais e Ambientais Colibri em parceria com o Museu Forte Defensor Perpétuo de Paraty/Ibram, aprovado pela Secretaria Estadual de Cultura do Rio de Janeiro em dezembro de 2011, sobre a ciranda e outras formas de manifestação musical caiçara em Paraty.

A pesquisa terá como produtos uma exposição a ser realizada no Museu Forte Defensor Perpétuo, unidade museológica do IBRAM em Paraty; um evento de inauguração da exposição e divulgação da pesquisa; e este blog, para divulgação da pesquisa e de seus produtos, com textos, fotos e vídeos produzidos pela equipe e por parceiros.

Vamos mapear as comunidades que ainda praticam a ciranda no município de Paraty, assim como aquelas em que ainda residem cirandeiros não mais atuantes. Com isso, queremos contribuir para o resgate da história e a memória da ciranda de Paraty e de seus protagonistas.

Serão realizadas entrevistas qualitativas, em campo, com cirandeiros e outras pessoas relacionadas à cultura da ciranda e à cultura caiçara em Paraty. A pesquisa ainda compreenderá uma etapa de levantamento bibliográfico do material já produzido sobre a musicalidade e a cultura caiçaras.

Os resultados da pesquisa serão organizados na forma de vídeos curtos (entrevistas e gravações de apresentações de cirandeiros, disponibilizados no blog e no espaço expositivo do Museu, que conta com uma sala de vídeo), fotografias e textos, que serão apresentados em diversos suportes (em molduras, banners, painéis e também disponibilizados no blog).

A exposição será composta de fotografias (novas e antigas), banners e painéis informativos, com textos, fotografias, imagens e letras de músicas de cirandas tradicionais de Paraty, além de peças do acervo do Museu.

Queremos que a pesquisa desenvolvida produza subsídios para a construção de um trabalho educativo continuado de parceria entre o Museu e as escolas do município, não restrito ao evento, em torno de ações relacionadas à cultura caiçara, fortemente definidora da identidade cultural local.

Nossa equipe:

Antônia Regina de Moura, jornalista (Instituto Colibri) e pesquisadora
Isabela Marques Leite de Sousa, museóloga (Ibram), pesquisadora
Henrique Milen Vizeu Carvalho, jornalista (Ibram), pesquisador
Matheus Augusto, fotógrafo e cinegrafista
Pablo Piedade, músico (Ciranda Elétrica), pesquisador
Pedro Campos Franke, historiador (Ibram), pesquisador
Pedro de Lemos MacDowell, antropólogo (Ibram), pesquisador-coordenador

Vamos juntos remar nessa ciranda. Um grande abraço a todos.

Anúncios